Seguro Desemprego 2019, Nova Lei e Tabela

Saiba tudo sobre o Seguro desemprego 2019, nova lei e tabela. Com a mudança do governo, o fim do Ministério do Trabalho, agora transformado em uma secretaria, é para se entender a busca por informações. Saber se há novas mudanças no seguro desemprego.

Muitas dúvidas surgiram de como será possível fazer uso do benefício a partir de agora. Se você quer saber tudo sobre o Seguro desemprego 2019, nova lei e tabela, conhecer a tabela e valores e saber sobre a nova lei confira este artigo.

Desde a nova lei do seguro desemprego, sancionada em 2015 e que vigora desde 2016, muitos ainda tem dúvidas. Por exemplo, mudou o tempo necessário para recebimento, quem tem direto receber e mais algumas coisas. Porém essa lei não altera diretamente a tabela do seguro desemprego de 2019. Mesmo assim, se você trabalha com carteira assinada, você deve ficar atento.

O que é o seguro desemprego

O seguro desemprego é um benefício, temporário, destinado aos trabalhadores de carteira assinada que são demitidos sem justa causa. Ele é um direito que todo empregado tem e é considerado um dos mais importantes benefícios brasileiros. Ele disponibiliza auxílio em dinheiro, durante um período determinado de tempo, para as pessoas que são demitidas. o seguro desemprego pode ser pago de 3 a 5 prestações, que podem ser continuamente, ou alternadas. Tudo depende do tipo de acordo que é feito com o trabalhador recém desempregado.

O seguro desemprego é pago apenas enquanto a pessoa ainda não está empregada novamente, assim que ela consegue outro trabalho com carteira assinada o auxilio é cortado.

seguro desemprego 2019 lei

Nova lei seguro desemprego 2019

Antes da nova lei do seguro desemprego o trabalhador desempregado podia solicitar o seguro desemprego após apenas seis meses de trabalho. Mas com as novas regras é necessário comprovar que trabalhou por pelo menos 12 meses com a carteira assinada para solicitar o benefício pela primeira vez.

Já na segunda vez que o trabalhador for solicitar o seguro desemprego ele precisa comprovar vinculo de trabalho no período de 12 meses. E a partir da terceira vez que o auxilio é requerido o período de carência volta para seis meses de trabalho.

De acordo com a nova lei o número de parcelas pagas também muda, quem solicitar o seguro desemprego entre seis e 11 meses de trabalho terá direito a três parcelas do benefício. Já quem trabalhar entre 12 e 23 meses receberá quatro parcelas e quem trabalhar por mais de 24 meses com carteira assinada receberá as 5 parcelas do auxílio seguro desemprego.

Tabela seguro desemprego 2019

A tabela do seguro desemprego 2019 ainda pode ser atualizado conforme algumas alterações no modelo de recebimento. Mas até o momento a tabela que está valendo é a seguinte:

tabela seguro desemprego 2019

 

Com base nessa tabela é possível que você calcule a média do valor do seu benefício em caso de desemprego, porém essa é a média e não o valor correto.

Como solicitar o seguro desemprego 2019, nova lei e tabela

O seguro desemprego agora pode ser solicitado totalmente pela internet, sem a necessidade de ir a qualquer unidade ou posto do Sine, ou Superintendência do trabalho. Para isso vasta ter acesso ao portal emprega Brasil emprego e se cadastrar, preencher todas as informações necessárias e se tudo estiver correto receberá o beneficio em até 30 dias. Se precisar o sistema irá comunicar a necessidade de comparecer a um posto do trabalho.

Pelo portal, o trabalhador poderá consultar também oportunidades de trabalho e cursos de qualificação profissional que estejam sendo ofertados próximos ao local onde reside.

O trabalhador que quiser o benefício deve acessar o portal Emprega Brasil e seguir o passo a passo informado. Deve informar os dados pessoais e responder um breve questionário sobre a vida laboral e previdenciária.

O sistema irá checar se as informações necessárias constam nas bases de dados do governo.

Consulta ao requerimento do Seguro Desemprego

A consulta ao requerimento do Seguro Desemprego 2019 disponibiliza informações referentes a sua última solicitação ao benefício, como:

  • Vínculo empregatício que originou o requerimento para a solicitação ao benefício;
  • Situação do benefício;
  • Notificações e Pareceres de Recursos;
  • Número de parcelas, valor, situação e data prevista para pagamento.